quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Alex Gardenal é absolvido da acusação de homicídio e condenado por formação de quadrilha

O réu foi condenado a 2 anos e quatro meses por formação de quadrilha e soma a pena às demais já sentenciadas

Após 6 horas, o julgamento de Alexandre de Sousa Ribeiro, o "Alex Gardenal", de 37 anos, na 5ª Vara do Júri do Fórum Clóvis  Beviláqua, terminou com condenação a 2 anos e 4 meses por formação de quadrilha e com a absolvição da acusação de homicídio triplamente qualificado.

Foto: Natinho Rodrigues - Arquivo/21.03.2011
O procurador Walter Filho informou que irá recorrer da decisão, por entender que "Gardenal" teve participação no homicídio.
Inocentado de homicídio triplamente qualificado
O réu foi absolvido das acusações de homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio crueldade e sem possibilidade de defesa à vítima). Ele é acusado de ter assassinado o agente penitenciário Francisco Kléber Nobre Silva, em 2007.
"Mesmo com a dificuldade de se enfrentar um júri popular, por conta da fama do Alex, iremos traçar a defesa na negação da autoria do crime", afirmou o advogado de defesa do réu, Ronaldo Braga Teles.
"Gardenal" é considerado um dos criminosos mais perigosos do Estado, está preso no presídio federal de Rondônia e soma a pena por formação de quadrilha às demais condenações, por assaltos a bancos, carros-fortes, sequestros e homicídios.
O julgamento

O julgamento de "Alex Gardenal" começou no início da tarde nesta quarta-feira após ele ter chegado de Porto Velho, na noite da última terça-feira (20), em voo fretado pela União e com forte esquema de escolta policial.
No Fórum, a segurança continuou forte. O acesso à sessão só era permitido após rigorosa revista policial e imagens só poderiam ser registradas do lado de fora da sala.
Antes do início do julgamento, o réu alegou estar passando mal e o serviço médico do Fórum foi acionado. Quando teve a palavra no interrogatório, responsabilizou a imprensa por atribuir a ele os crimes em que ele já foi condenado.
O julgamento havia sido adiado no dia 1° de julho, devido ausência de advogado de defesa.
Com informações da Redação da TV Diário

Nenhum comentário:

Postar um comentário