sábado, 21 de setembro de 2013

Quadrilha acusada de assaltos é capturada

Diário do Nordeste
Grupo é investigado por vários ataques o em Fortaleza, tendo como ´alvos´, lotéricas, bancos e farmácias
Quatro homens, suspeitos de integrar uma quadrilha responsável por assaltos a agências lotéricas, farmácias e banco na Grande Fortaleza foram presos, na tarde de ontem. Com o bando, a Polícia apreendeu uma grande quantidade de celulares, smartphones e tablets de uma das lojas da rede Extrafarma, instalada na Avenida da Abolição, no bairro Meireles.

Delegado Romério Moreira de Almeida apreendeu dezenas de celulares, smartphones e tabletes que estavam em poder dos suspeitos, além de duas armas de fogo e munição. O bando foi capturado em cerco da PM no Conjunto Ceará FOTO: KIKO SILVADe acordo com a Polícia, um dos celulares roubados tinha rastreador e o acessório possibilitou que os policiais chegassem até os ladrões.

Segundo o soldado Celso de Maria, da Força Tática de Apoio (FTA) da 4ªCia do 6ºBPM (Conjunto Ceará), quando a Polícia chegou até o endereço que o rastreador indicava, na Avenida J, do Conjunto Ceará, um dos ocupantes da casa tentou fugir, mas todos foram capturados.

Quadrilha

Francisco Paulo Oliveira da Silva, 31; Marcos Aurélio Flores Barroso, 24; Aristóteles de Sousa, 26; e Robson de Sousa Barbosa foram conduzidos à Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) sob acusação de terem envolvimento com o assalto.

Francisco Paulo Oliveira da Silva, 31, foi detido durante o cerco policial em uma residência fotos: divulgação/ Aristóteles de Sousa, 26, negou ter participação nos roubos praticados pela quadrilha em Fortaleza/ Robson de Sousa Barbosa também foi autuados em flagrante na Delegacia de Roubos e Furtos, na tarde de ontem/ Marcos Aurélio Flores Barroso, 24, é apontado como um dos responsáveis pelo roubo na farmácia, no Meireles

Na casa onde eles estavam, a Polícia encontrou dentro de um veículo modelo Focus, de cor preta, MDI-4134, um saco plástico com os eletroeletrônicos. Pelo menos 150 aparelhos entre celulares, smartphones e tablets estavam na casa e no carro. No automóvel foram encontrados também, dois revólveres calibre 38 municiados com nove projéteis.

Segundo o cabo Marcelo Gama, do Ronda do Quarteirão, que deu apoio na hora do cerco, grande parte destes objetos foi levada da farmácia, mas também havia outros objetos de procedência duvidosa que, possivelmente, foram obtidos em roubos acontecidos em outras oportunidades. Ainda de acordo com o cabo, os presos teriam confessado o esquema. Eles teriam chegado a revelar que Barroso e Barbosa seriam os autores dos roubos e Sousa e Silva iriam receber os objetos conseguidos de forma fraudulenta.


Aristóteles Sousa diz que as acusações contra ele não procedem e que não tem nada a ver com o ocorrido.

O soldado Celso de Maria lembra que um dos suspeitos de terem atacado a farmácia é perigoso e já responde a um homicídio e a dois roubos. Além deles, Aristóteles Sousa também já tem registros de passagens pela Polícia pelo crime de receptação.

Autuados

O delegado titular da DRF, Romério Almeida, disse que todos os suspeitos seriam autuados pelo crime de roubo qualificado, por ter sido praticado mediante uso de uma arma de fogo.

"Os objetos iriam ser vendidos no Beco da Poeira (Centro). Vamos investigar quem estava repassando e comprando. Casos semelhantes a este que vinham acontecendo na Capital".

MÁRCIA FEITOSAREPÓRTER

Nenhum comentário:

Postar um comentário