segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Ipea: país não vive pleno emprego, nem há falta de mão de obra qualificada | Agência Brasil

O aumento da contratação de pessoas com ensino médio completo e nível superior e a queda da diferença salarial entre essas ocupações e as dos que recebem menores salários mostram que não há escassez de mão de obra qualificada no Brasil, revela boletim divulgado hoje (7) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com base em dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (Pnad)-2012.  
De acordo com o coordenador da pesquisa, Gabriel Ulyssea, a falta de mão de obra qualificada hoje é pontual, existindo em algumas ocupações apenas. Há uma expansão da oferta de trabalhadores mais qualificados e queda dos salários deles, disse Ulyssea. Então, ressaltou o coordenador da pesquisa, não há compatibilidade entre o aumento do volume (de mão de obra qualificada) e a queda de  preços (salários) desses trabalhadores.

Ipea: país não vive pleno emprego, nem há falta de mão de obra qualificada | Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário