quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Professor constrói forno solar para uso no Sertão do Cea


“Qualquer pessoa que tenho um mínimo de habilidade com ferramentas básicas poderá montar seu próprio forno”, destaca o professor

Forno solar é alternativa para moradores do Sertão (FOTO: Divulgação)

Um professor cearense mostrou que o sol, na verdade, pode ser uma fonte de energia capaz de substituir o gás de cozinha e a lenha.
Lúcio Galvão, químico da Universidade Estadual do Ceará (Uece), criou um forno solar barato, feito com materiais reciclados que, em vez do destino ser os lixões, podem ser reutilizados de forma racional e produtiva. “Com o forno solar alternativo, o cozimento usa a luz do sol como fonte de energia”, explica o professor.

As primeiras oficinas para a construção do forno alternativo foram realizadas na Região dos Inhamuns. Mas as práticas já foram levadas a outros municípios cearenses como Umirim e Quixadá. “O experimento foi parar até no Piauí, Paraíba, Rio Grande do Norte e Foz do Iguaçu”, comemora o professor.

Alguns obstáculos culturais, no entanto, dificultam a aceitação dos moradores devido ao receio quanto à higiene do equipamento. De acordo com ele, a temperatura do forno é suficientemente alta para impedir a proliferação de microrganismos, o que garante a esterilização dos alimentos. 

O forno solar é uma caixa de papelão forrada de papel-alumínio, contendo uma chapa de metal pintada de preto, apoiada sobre pequenos calços de madeira. Sobre essa chapa são colocadas as panelas, também pintadas de preto, e com tampas de encaixe para reduzir a saída de vapor.

As vantagens do forno alternativo são muitas. O utensílio é uma forma de economizar na queima de combustível fóssil (gás butano), diminuir a derrubada de árvores para a formação de carvão vegetal, além de promover mais saúde. A comida cozinha lentamente e a temperaturas mais baixas, preservando os nutrientes.

Adaptado da Tribuna do Ceará

Nenhum comentário:

Postar um comentário