quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Funceme divulga prognóstico para a quadra chuvosa no Ceará



Após dois anos de estiagem no Estado, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) alerta para a possibilidade de a seca ser prolongada em 2014. A instituição emitiu nesta terça-feira (21) o prognóstico oficial para a quadra chuvosa no Ceará e o panorama não é positivo. A previsão climática para os próximos três meses aponta 40% de probabilidade de que as chuvas fiquem abaixo da média até abril, 35% de chance de termos chuva em torno da média e 25% de probabilidade de precipitações acima da média.

Segundo o presidente da Funceme, Eduardo Sávio Martins, as condições da atmosfera e dos oceanos não evoluíram para um quadro positivo. “Persiste uma neutralidade nas temperaturas do Pacífico e no Atlântico Equatorial há uma tendência de configuração desfavorável às chuvas. Além disso, os modelos atmosféricos globais de várias instituições também apontam para a maior probabilidade de chuvas abaixo da média no Ceará até abril”.


A divulgação do prognóstico aconteceu no fim da tarde desta terça-feira, 21 de janeiro, durante o XVI Workshop Internacional de Avaliação Climática para o Semiárido Nordestino, no Hotel Luzeiros, em Fortaleza. O evento reuniu meteorologistas dos estados do Nordeste, além de especialistas do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e de institutos dos Estados Unidos (IRI) e Reino Unido (UK Met Office).

Impactos e decisões

A previsão climática apontando precipitações abaixo da média foi passada, ainda no Workshop, para setores do Governo do Estado e da sociedade civil diretamente impactados pelo regime de chuvas. “Apresentamos o quadro para as instituições que formam o Comitê Integrado de Combate à Seca. De posse dessa informação, os gestores já estão planejando as ações que buscam minimizar os efeitos de mais um ano de estiagem no Ceará”, enfatizou o presidente da Funceme.

Assessoria de Comunicação da Funceme

Nenhum comentário:

Postar um comentário