sábado, 7 de junho de 2014

Copa do Mundo: Em Fortaleza mais de 7000 policiais por dia durante o evento estarão nas ruas

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social, Servilho Paiva, apresentou nesta sexta-feira (06), o plano se segurança que será utilizado para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Ele anunciou que 7.007 policiais das forças do Estado e federal vão participar diariamente da estratégia de segurança montada para o evento. Segundo ele, os policiais vão estar nos arredores do Castelão, hotéis, Fan Fest, rodovias, aeroporto, porto do Mucuripe, nos Centros Integrado de Controle, rodoviárias, além de estarem em locais espalhados pela cidade.

Servilho destacou que a presidenta Dilma Rousseff ofereceu a todos os governadores de Estado o apoio da Força Nacional e a oferta foi aceita. “Não poderíamos dispensar um apoio tão importante. Estamos preparados, mas, quanto mais reforço tivermos, melhor será”, disse o Secretário. Ele enfatizou ainda que o número de emergência 190 haverá atendentes bilíngues (inglês e espanhol) e mesmo se um norte-americano discar o 911 e o europeu o 112 (equivalentes ao 190 no Brasil), a ligação será desviada para o número nacional.

Novos Equipamentos

O Batalhão de Polícia de Choque da Polícia Militar do Estado do Ceará (BPChoque/PMCE) recebeu equipamentos especiais para manuseio, detecção e destruição de bombas e agentes químicos. Os artefatos estão prontos para serem utilizados a partir da próxima semana com início da Copa do Mundo, que tem Fortaleza como uma das cidades-sede. O kit inclui um robô - chamado de “510 PackBot” -, um braço robótico, trajes e escudos anti-fragmentação, aparelhos de raio X, além de acessórios que auxiliarão os agentes da segurança em operações mais arriscadas.

O material é fruto de investimentos oriundos do Governo do Estado e da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça (Sesge/MJ).

Sobre o 510 Packbot

O robô 510 PackBot tem fabricação americana e atua com funções de detecção e desativação de explosivo e materiais perigosos; vigilância, reconhecimento, pontos de verificação, inspeções pessoais, invasão tática de edifícios, desobstrução de rotas e resposta a emergências, ampliando as condições de pronta resposta dos policiais. A máquina pesa 19 quilos e utiliza, ainda, um sistema de lasers para localizar atiradores e morteiros antes que o primeiro tiro seja disparado. A tecnologia do equipamento já é utilizada por soldados americanos na remoção de bombas plantadas em laterais de estradas.


Fonte:Assessoria de Comunicação da SSPDS

Nenhum comentário:

Postar um comentário