terça-feira, 12 de agosto de 2014

[Coluna Economia e Mercado] Silvio Santos retorna a lista de bilionários da Forbes



Silvio Santos retorna a lista de bilionários da Forbes
Silvio Santos voltou a fazer parte da lista de bilionários elaborada pela revista norte-americana "Forbes". No início de 2014, o proprietário do SBT foi retirado da lista devido a variações cambiais, segundo a publicação. Os bens do empresário brasileiro, na época, foram avaliados em US$ 900 milhões. Depois de analisarem novas informações sobre as companhias de Silvio Santos, a revista afirmou que é "seguro dizer" que ele está de volta ao clube dos bilionários. Sua fortuna é agora avaliada em torno de US$ 1 bilhão.(Super Notícia)
O crédito demora um pouco para crescer
A presidente do Magazine Luiza, Luiza Trajano, disse que o varejo é o segmento que menos tem sentido o arrefecimento da atividade econômica no país. Luiza disse acreditar que o impacto na oferta de crédito da liberação do compulsório pelo Banco Central, no final de julho, vai demorar ainda dois meses para ser sentido.(Diário do Nordeste)
É como cupim
Ela contou que acompanha de perto os número de inadimplência do país e do setor de crédito da empresa, o LuizaCred. Toda segunda-feira, contou ela, os números dos devedores da LuizaCred são colocados em sua mesa. "Inadimplência é igual cupim: quando você vê, você quebra", disse a empresária.(Diário do Nordeste)
Dívidas das termoelétricas da Região Norte
A Petrobras espera concluir ainda neste semestre as negociações para o pagamento das dívidas da Eletrobrás referentes ao fornecimento de diesel para a geração de energia nas térmicas da Região Norte. O valor já ultrapassa os R$ 7,25 bilhões. Para o diretor financeiro da petroleira, Almir Barbassa, o volume não compromete a rentabilidade da companhia. (Época Negócios).
País terá que investir mais de 20% do PIB para manter crescimento, diz EPE
A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculada ao Ministério de Minas e Energia, estima que o Brasil viverá um ciclo longo de crescimento moderado da economia, com média de 3,6% a 4% ao ano, até 2050. Mas, para manter esse ritmo, o Brasil terá que aumentar o nível atual de investimentos, de 18% em média do Produto Interno Bruto (PIB, soma de bens e serviços produzidos no país) para pelo menos 20,5% do PIB, de acordo com o estudo Cenário Econômico 2050, divulgado no Rio de Janeiro, pelo presidente da EPE, Maurício Tolmasquim.(Agência Brasil)
Mais veículos nas ruas e eletrodomésticos em casa
A expansão da classe média, além de triplicar a frota de veículos no período em análise, também elevará o número de aparelhos de ar condicionado (de 23%, em 2013, para 65%) e de lavadoras de roupas (de 68% para 94% das casas), e tudo isso implica mais consumo de energia elétrica.(Agência Brasil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário