quarta-feira, 10 de setembro de 2014

[Coluna Economia e Mercado] BRF anuncia venda de unidades de lácteos para Parmalat





BRF anuncia venda de unidades de lácteos para Parmalat
A BRF empresa de alimentos empresa formada pela fusão entre a Sadia e Perdigão vai vender para a Parmalat empresa com sede na Itália pertencente ao grupo Lactalis, por 1,8 bilhão de reais as suas unidades e marcas de lácteos. Entre as marcas de produtos estão a Batavo e Elegê e 11 unidades fabris em 10 localidades. A venda faz parte de uma reestruturação. (Exame.com)

Brasil será único grande exportador de petróleo com matriz energética limpa
O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, disse que o Brasil será o único grande exportador de petróleo com uma matriz energética limpa. A afirmação foi feita durante a divulgação do novo Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE). Tolmasquim disse que as fontes renováveis deverão manter a participação do país na matriz energética em cerca de 42%, superando a média mundial de 13% e mesmo a dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), de 9%. (Agência Brasil)

Operação Lava Jato
As coisas se complicam para o lado de deputados, senadores e governadores. Paulo Roberto Costa insiste em entregar todo mundo. O esquema de corrupção que teria desviado recursos da Petrobras em parceria com o doleiro Alberto Youssef, que está preso em Curitiba, dos R$ 10 bilhões movimentados pelo esquema, R$ 82 milhões de reais foram movimentadas através de contas bancárias de Paulo Roberto, do genro e filhas. Agora pergunto como a Receita Federal nunca identificou esses valores através de cruzamento de dados? Um mistério! Segundo informações o doleiro Alberto Youssef, também quer os benefícios da delação premiada, ai é que vai sair muita coisa. (Internet e redação)

Mercado em baixa
Cinco meses após inaugurar uma fábrica no país, a Nissan anunciou nesta quarta-feira a suspensão temporária do contrato de trabalho de 279 funcionários de fábrica em Resende (RJ), num momento de baixa atividade do mercado automobilístico no país. (Exame.com)

Grandes empresas colaboraram com a ditadura militar
Empresas brasileiras e estrangeiras colaboraram com os militares durante a ditadura. Elas funcionavam como fonte de informações sobre sindicalistas e trabalhadores suspeitos de comandarem greves e fazerem parte de organizações de esquerda, comprovam documentos obtidos pelo Grupo de Trabalho “Ditadura e repressão aos trabalhadores e ao movimento sindical” da Comissão Nacional da Verdade, apresentados nesta segunda-feira 8, em São Paulo. Dentre as principais empresas que aparecem estão: Brastemp, Chrysler, Ford do Brasil S/A, Mercedez Benz do Brasil S/A, Termocânica, Volkswagen do Brasil S/A, Westinghouse LTDA, Rolls-Royce, Scania, Toyota e Toshiba. (Carta Capital)

Nenhum comentário:

Postar um comentário