sexta-feira, 5 de junho de 2015

Funcionária grávida abortou em agência bancária devido a pressão e estresse laboral.


 Estresse, Tensão, Pressão, Salientando

Funcionária foi liberada apenas 4 dias

(Tocantins)- Uma funcionária do Banco Itaú entrou na justiça pedindo indenização por assédio moral. A funcionária que trabalhava na tesouraria teve um aborto espontâneo dentro do expediente em que trabalhava na agência. Segundo informações mesmo ensanguentada a funcionaria foi obrigada a trabalhar até o final do expediente. No dia seguinte ela , que
pela lei tem direito a 30 dias de licença , ela foi obrigada a ir até a agência para passar o serviço para outra pessoa e foi liberada apenas 4 dias. Segundo informações de artigo lido no Jusbrasil a procuradora Mayla Alberti reforça que reforça que os bancários são punidos até mesmo por ficarem doentes, e que “essa desastrosa gestão laboral” já ocasionou a perda da vida (nascituro), além de ameaçar outras que estão geradas em condições adversas decorrentes de pressão e estresse laboral.

Por redação 

Nenhum comentário:

Postar um comentário