sexta-feira, 5 de junho de 2015

Imprudência é principal causa de acidentes em feriados, diz PRF

PRF intensifica fiscalização de condutas imprudentes no quilometro trinta e cinco da BR-040 (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Em 2014, segundo a PRF, 200 pessoas morreram em acidentes de trânsito nas rodovias federais que cortam o Distrito Federa

Agência Brasil
Os feriados prolongados são sinônimo de descanso e diversão para milhões de brasileiros que planejam aproveitar os dias de folga para viajar para o litoral ou campo. Mas esse momento tão aguardado tem acabado de forma trágica para muitas famílias por causa imprudência ao volante. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o excesso de
velocidade e as ultrapassagens em lugar indevido são as principais causas de mortes nas estradas do país, principalmente, nos feriadões.

“As campanhas de conscientização são importantes, sem dúvida nenhuma, agora, a redução dos acidentes está ligada também ao traçado da via e às sinalizações que não são respeitadas pelos motoristas. Muitas vezes o condutor está com pressa, quer chegar logo e acaba não atentando a detalhes que acabam ocasionando acidentes graves, com lesões graves e mortes”, disse à Agência Brasil o agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Wanderley Francisco Soares.

Na tarde de quarta feira (3), véspera de feriado, em pouco menos de duas horas, a reportagem flagrou dezenas de condutores fazendo ultrapassagens em um trecho de curva, com faixa contínua, ao acompanhar uma fiscalização da PRF, na BR-040, perto de Luziânia.

Nesse local, diariamente, os agentes aplicam, em média, dez multas por ultrapassem pela contramão em faixa contínua. Nos períodos de feirado prolongado, essa média mais do que dobra.

Em 2014, segundo a PRF, 200 pessoas morreram em acidentes de trânsito nas rodovias federais que cortam o Distrito Federal (BR 020, 040, 050, 060, 070, 080 e 251). Mais de um terço dessa mortes, 67 ao todo, foram decorrentes de colisão frontal. Neste ano – até maio – , 104 pessoas morreram em acidentes nessas rodovias, sendo que 45 ocorreram colisões frontais (43,26%).

Apesar desse tipo de acidente não ser o mais recorrente, ele é o mais letal, conforme os dados da PRF. Foram 90 ocorrências em 2014 (3,17% dos acidentes) e 35 este ano (3,52%). “Na medida do possível, nesses feirados prolongados atuamos em pontos críticos para tentar evitar colisões e fazer alerta aos condutores”, disse Soares.

Em 2013, foram registrados 3.4227 acidentes nas BRs que cortam o Distrito Federal, com 216 mortes, 642 feridos graves e 1.970 feridos leves. As principais causas foram as colisões traseiras (1.086), saída de pista (576) e colisão lateral (559). Apesar de uma redução do total de acidentes em 2014 (2.837), o número de mortes foi praticamente o mesmo, 200 ao todo.

Apenas nos cinco primeiros meses de 2015, já foram registradas 104 mortes nas rodovias federais que cruzam o DF. Dessas, 45 ocorrem depois de colisões frontais, 14 após colisão transversal e 13 após colisões traseiras.

Multado ontem pela Polícia Rodoviária Federal por fazer uma ultrapassagem em local proibido, o servidor público José Augusto de Melo Silva reconheceu que a pressa faz com que os motoristas desrespeitem as regras de trânsito. “É aquela coisa, realmente tem a imprudência. Para mim, tinha condições [de fazer a ultrapassagem], tinha visibilidade para fazer a ultrapassar apesar da faixa contínua”, disse.

Depois de fazer o teste do bafômetro, que não constatou uso de bebida alcoólica, Silva disse que se considera um condutor “apressado”. Apesar de ter que pagar uma multa de R$ 974, ele acredita que teve sorte por ser abordado pela PRF em vez de colidir com outro carro.

“O tempo que a gente vai gastar, na melhor das hipóteses, vai ser aqui ao ser autuado. Mas, na pior da hipóteses, o motorista vai perder tempo se envolvendo em um acidente. O ideal é sair mais cedo mesmo e não facilitar com as ultrapassagens e seguir a legislação”, disse o servidor público que viajava de Luziânia para Belo Horizonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário