quinta-feira, 13 de agosto de 2015

[Coluna Falando S/A] Não é hora de carimbada



 Nova Coluna Falando S.A.

Não é hora de carimbada

Recentemente ouvi o termo carimbo como sendo alguma coisa que é feita sempre do mesmo jeito. Por exemplo quando um pedido é feito sempre do mesmo jeito é usado uma espécie de carimbo, ou seja, as pessoas não param para analisar a situação, pedem sempre o mesmo material, fazem os mesmos relatórios, dão os mesmos comandos e ainda por cima esperam resultados diferentes.

Em um almoço promovido pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Venâncio Aires (Caciva) a administradora Raquel Reali disse que a inovação, liderança e gestão são maneiras de
vencer a crise nas empresas para ela essas três características precisam ser executadas antes que a crise ocorra de fato. “A crise é previsível e avisa quando chega. ” E segundo ela a crise pode ser um momento de oportunidade para melhoras. A consultora explicou ainda que explicou que o país vive três momentos de crise: a social (ameaça uma estrutura), a econômica (alteração nos indicadores para o nível negativo e desemprego) e a política (conflitos que ameaçam a continuidade de um governo).

Para ele o ponto em comum entre esses três momentos da crise é o medo e a ameaça, as empresas ficam com medo por que o cliente não compra e inseguro por não sabem se vão conseguir se manter no mercado. Por isso procure não usar o “carimbo” e sim a criatividade na liderança e gestão, agindo assim você estará preparado para a crise.

Com informações da Folha do Mate

Inovação em exames médicos

O italiano Marco Collovati, formado em medicina na Itália, presidente da empresa de diagnósticos OrangeLife está confiante em su novo investimento, o Laboratório Sangue Bom que traz a proposta de fornecer ao mercado exames de sangue por R$ 5,00. 

O segredo está do preço mais em conta do que o encontrado em clínicas está na otimização do espaço, dos serviços e do maquinário dos laboratórios. O médico e empresário decidiu montar a empresa após enfrentar algumas dificuldades financeiras nos primeiros meses no Rio de Janeiro, Collovati, quando morou na comunidade Pavão Pavãozinho.  

A empresa conta atualmente com quatro laboratórios no Rio de Janeiro e na Bahia, e pretende abrir mais dois pontos de serviço até o final de julho.

Com informações do site Pequenas Empresas e Grandes Negócios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário