sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Nau à deriva

Resultado de imagem para nau a deriva
Google Imagens

Escrito por Pedro Paulo Morales

Estamos todos no mesmo barco e o há um possivel motim a bordo.

O titulo tomei emprestado do editorial do jornal O Estado/CE e penso que bem reflete o que estamos passando, a tal “travessia”  dita pelo governo. A Standard & Poor´s reduziu a nota de risco do Brasil e “dai” como disse o ex-presidente Lula em visita a Buenos Aires mas quando em 2008 a mesma agência elevou a nota do Brasil ele disse que o Brasil foi reconhecido e que agora estamos no caminho certo. Lula disse que as agencias de risco querem mais “arrocho”.


O governo pretende, agora, anunciar, mais detalhadamente, as medidas de controle de gastos e aumento de receitas que pretende adotar para reequilibras as contas públicas, penso que foi muito tarde para começar a se mexer, o gasto publico chegou a números exorbitantes, no ano passado, a redução da carga tributária pela via da desoneração fiscal atingiu R$ 100 bilhões ou 1,81% do Produto Interno Bruto o que é valido mas infelizmente redução da carga tributária sem cortar impostos não surte muito efeito apenas aumenta o estouro nas contas publicas.

Especialistas em economia dizem que a situação brasileira vai piorar e talvez seja vista uma luz no final do túnel em 2017 o que significa que a travessia vai ser longa. Para termos uma ideia ontem em um programa local de noticias foi dito que 13 estados brasileiros não estão conseguindo fechar a folha de pagamento, no Ceará a  perspectiva é que a partir do mês que vem tenhamos problemas neste sentido.

Segundo a Agência Brasil o primeiro anúncio será a redução de custeio dos ministérios, que serão reestruturados e terão contratos de prestação de serviço revistos para cortar gastos. Em seguida, a equipe econômica deverá anunciar ajustes que ainda estão sendo estudados em programas de governo, redução de ministérios, obras e investimentos previstos e que não deverão se realizar.

As medidas estão corretas mas agora a “Inês é morta” como se diz no popular. As empresas já  começam a rever o seu planejamento para o ano  que vem diante de um cenário tão desanimador e imprevisível.Noticias já dão conta que agência de classificação de risco Standard & Poor’s realizou uma série de alterações nos ratings e perspectivas de diversas entidades corporativas e de infraestrutura do Brasil entre elas várias companhias do setor elétrico e gigantes como Natura , Telefônica, Votorantim, Vale e muitas outras e isso significa que o crédito internacional vai ficar mais caro e escasso . Também o setor bancário foi atingido entre eles estão Bradesco, Itaú, Caixa Econômica e Banco do Brasil. Isso acontece porque os bancos são os mais afetados quando há um momento de estresse como esse onde a inadimplência pode crescer.

A coisa não esta boa e o governo tem que agir imediatamente e cuidar para que outras agências não rebaixem as notas de crédito. Alguns lideres petistas  já começam a admitir a possibilidade de um eventual processo de impeachment de Dilma  Rousseff o que seria mais traumático para o país.
O que precisa ser feito é o corte de gastos imediato e enxugamento da máquina publica e punição imediata dos envolvidos na Operação Lava Jato e outras como Zelotes por exemplo pois sem isso o capitão do navio a deriva vai pular fora e vamos afundar todos.

Com informações do O Estado/CE- O Povo on Line – Noticias  ao Minuto- Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário