domingo, 27 de dezembro de 2015

Consumidores movimentam lojas de Fortaleza na véspera do Natal


 Natal
A véspera de Natal foi movimentada no centro de Fortaleza, um dos principais pontos de compras da capital cearense. A presença do consumidor nas lojas confirma as projeções da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará (Fecomércio-CE). Pesquisa da entidade divulgada no começo de dezembro mostrou que 52,5% iriam às compras e movimentariam R$ 300 milhões.

O gerente Dennes Paulo, responsável por uma loja de calçados da capital, observava satisfeito o vai e vem de clientes. “Estamos muito contentes com o movimento das últimas semanas. Hoje, a loja está também movimentada e espero que seja assim até o fechamento”. Calçados, cintos e bolsas aparecem com 26,4% na preferência de compras em Fortaleza.

 

O último dia de compras antes do Natal serviu tanto para quem precisava comprar os últimos presentes como para quem deixou tudo para a última hora. Foi o caso do casal Lucas Araújo Oliveira, auxiliar de produção, e Monique Alves de Lima, vendedora. Eles foram ao centro de Fortaleza comprar roupas, calçados e presente para o amigo-secreto. “Eu entrei de férias hoje, e só hoje consegui vir fazer as compras. Estamos há sete horas andando nas lojas, mas vamos continuar pesquisando o melhor preço”, disse Lucas.

Já a cuidadora Antônia Ferreira usou o dia para comprar os últimos presentes. “A cada dia da semana que tinha uma folga, dava uma olhadinha, comprava uma coisinha aqui e ali”. Entre as araras de roupas, ela olhava presentes para os filhos e para a nora.

Os artigos de vestuário foram os preferidos do consumidor na pesquisa da Fecomércio, com 63,1% das intenções de compra. No entanto, Josiane Lima, gerente de uma loja de roupas, observou uma queda no movimento em relação ao ano passado. “O Natal deste ano está de regime. As pessoas estão mais cautelosas na hora de comprar”.

Essa cautela foi verificada pela Fecomércio. A movimentação de R$ 300 milhões em compras é 7,7% menor do que o valor faturado em 2014, que foi de R$ 325 milhões.

Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário