segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Foi demitido? Especialista IBE-FGV recomenda o que fazer


 

A professora da IBE-FGV, Elisabete Oliveira, elaborou um passo a passo para quem acaba de receber a má notícia 

O mercado de trabalho brasileiro há meses dá sinal de enfraquecimento. A taxa de desemprego subiu para 7,6% da população economicamente ativa (PEA) de seis regiões metropolitanas do país, em agosto. Os dados foram anunciados hoje, 24, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Mensal de Emprego (PME). É a maior taxa para o mês desde 2009, quando foi de 8,1%. Por isso, o maior medo de quem está empregado é o de ser demitido. Mas, para muitas pessoas, esse dia já chegou.

“Em momentos como esses é importante não se desesperar. Manter a calma e fazer planos é essencial”. É o que diz a professora da IBE-FGV, Elisabete Oliveira, especialista em recrutamento e seleção, gestão de pessoas, liderança e coaching executivo. Segundo ela, a família dever ser a primeira a saber, pois o momento pede ajuda mútua. “A família será solidária, se conscientizará e, principalmente, poderá auxiliar na contenção dos gastos”, comenta.

Para ela, o pânico leva a decisões precipitadas e aí o profissional pode até aceitar a primeira proposta que aparecer, sem levar em consideração os problemas futuros. “Ninguém é obrigado a aceitar o primeiro trabalho só porque está precisando recolocar-se. Sem planejamento, essa decisão poderá ser um problema lá na frente”.

Ela recomenda uma análise mais ampla do mercado, levando em conta que, apesar da crise, muitas empresas estão aproveitando para substituir colaboradores e até gestores “menos produtivos” e “é aí que as oportunidades podem surgir”. A professora Elisabete recomenda atenção às vagas que surgirem e faz um alerta. “Leva vantagem aquele que estiver melhor preparado”, diz.

Veja o passo a passo elaborado pela especialista para quem acaba de receber a má notícia.

Revise seus gastos. “Se você não está acostumado com isso vai ser necessário elaborar um bom planejamento financeiro. Escreva tudo numa planilha e reveja todas as contas atuais e mantenha somente aquelas essenciais. Contas supérfluas devem ser cortadas imediatamente”, orienta. Elisabete Oliveira é enfática. “A ordem é priorizar e remanejar gastos e se for o caso fazer renegociações de dívidas”.

Analise a sua carreira. O momento é apropriado para pensar na vida profissional, fazendo uma retrospecção do que já passou. “Pense em tudo e, principalmente, se está satisfeito com a área em que atua, se pretende continuar e se vai para o empreendedorismo ou até mesmo mudar de área”. Esta também é a hora de atualizar o currículo, o que requer atenção especial quanto ao formato, precisão nas informações, concisão e, fundamentalmente, “sem erros de português”.

Aposte no seu networking. Ao contrário do que muitos pensam, o networking deve ser mantido o tempo todo e não só quando precisa. “Por isso é importante acessar a rede de contatos de forma estratégica. Participar de eventos, encontros profissionais, cursos e palestras são bons veículos para estabelecer esses vínculos”.

Pense em fontes de rendas alternativas. Enquanto não consegue recolocação, alguns hobbies ou habilidades da época de colégio podem ser úteis agora. “Se curte programar computadores, ama matemática, fala fluentemente outros idiomas ou é craque em gramática e literatura portuguesa, utilize seu talento”, sugere. Aproveite para espalhar a notícia em quadros de aviso do condomínio, entre amigos e familiares.

Capacite-se. “Não deixe de capacitar-se enquanto prospecta seu currículo. Busque alternativas para fazer isso, há sites para cadastro, cursos gratuitos para reciclagem e especializações em condições especiais na IBE-FGV”. A professora, inclusive, explica que na entrevista é importante mencionar isso.

“Por fim prepare-se para a famosa entrevista de emprego. Cuide da aparência pessoal e do vocabulário, seja objetivo e esteja focado no que deseja”, finaliza.

Fonte: Dino

Nenhum comentário:

Postar um comentário