sábado, 9 de abril de 2016

Em debate de 13 horas, 39 deputados defenderam o impeachment e 21 foram contra

Brasília - A comissão especial da Câmara, que analisa o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, discute o parecer do relator Jovair Arantes (Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil



 POLÍTICA
(Brasília-09-04-2016) Acabou por volta deàs 4h43 deste de hoje a sessão da comissão especial que analisa o pedido de afastamento da presidenta Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados foram mais de 13 horas de sessão .

Ao todo 61 deputados discursam. A maioria, 39 deles, defenderam o parecer do relator Jovair Arantes (PTB-GO),  que sugeriu o prosseguimento do processo de impeachment, o numero de deputados que foram contras o impeachment fio de 21. Cada deputado falou pro 15 minutos, foram 116 deputados ao todo que estavam escritos para discursar.
Alguns disseram que se tratava de um golpe como o   petista Paulo Teixeira (SP) que disse que “Impeachment sem crime de responsabilidade é golpe”, outros como o deputado Laudivio Carvalho (SD-MG) disse que não se trata de golpe pois "O que não faltam são indícios de má conduta; as pedaladas fiscais são apenas o começo, a população clama por mudança, a presidente perdeu a confiança do povo e governa na corda bamba”. Já a deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), Dilma decepcionou várias mulheres brasileiras.

Segundo a Agência Brasil o debate foi tranquilo apesar de os deputados Silvio Costa (PTdoB-PE) e Danilo Forte (PSB-CE) trocaram ofensas.

A próxima reunião da comissão está marcada para a próxima segunda-feira (11), às 10h,  quando o relator Jovair Arantes fará a réplica.A votação do relatório na comissão está marcada para ter início às 17h da segunda-feira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário