sábado, 23 de abril de 2016

Povo brasileiro saberá impedir qualquer retrocesso, diz Dilma na ONU


DISCURSO NA ONU

Representantes de cerca de 160 países assinam o acordo de Paris, que visa a combater os efeitos das mudanças climáticas e reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Nova Iorque - EUA, 22/04/2016. Presidente Dilma Rousseff durante sessão de abertura da cerimônia de assinatura do acordo de Paris (Roberto Stuckert Filho/PR)

  Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff discursou na manhã de ontem (22) na sessão de abertura da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris, na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

A presidente chegou a mencionar a crise que o pais esta vivenciando mas foi muito discreta neste ponto. Todos pensavam que ela iria pedir uma espécie de ajuda a Nações Unidas para evitar o que o PT chama de golpe.

Dilma Rousseff elogiou o povo brasileiro dizendo que ele é trabalhador e que "saberá, não tenho dúvidas, impedir qualquer retrocesso".  e agradeceu o apoio recebido  dos líderes  que expressaram  solidariedade a ela.

Dilma disse que é preciso "criar meios de reorientar os fluxos financeiros internacionais de modo permanente para apoiar ações que representem soluções para o problema global e promovam também benefícios de adaptação, saúde pública e desenvolvimento sustentável" e queAlcançaremos o desmatamento zero na Amazônia"  e garantiu que "Todas as fontes renováveis de energia terão sua participação em nossa matriz energética ampliada até alcançar 45% em 2030."

Cunha critica discurso de Dilma

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), divulgou ontem (22) – momentos após o discurso da presidenta Dilma Rousseff na abertura da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris, na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York – uma nota na qual reitera críticas “à insistência” de Dilma em “classificar como golpe o legítimo processo de impeachment a ela imputado”. A nota foi divulgada também na versão em inglês, dirigida à imprensa estrangeira.

Repercussão do discurso entre os senadores

O discurso da presidenta repercutiu também no Senado Federal. O senador Jorge Viana (PT-AC) classificou de elegante a fala de Dilma e considerou que a referência ao momento político do país foi sutil.

Para o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), o discurso feito pela presidenta demonstra que ela teve “o bom senso de não enveredar por uma linha que noticiaram, que ela iria dar uma versão não correta [sobre o momento político do país] após ministros do STF terem mencionado que a fala de golpe seria uma afronta e uma agressão às instituições brasileiras.  

Editado com informações da Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário