domingo, 10 de julho de 2016

Resiliência pode ajudar a driblar os reflexos da crise


 Sandro Ferrari

Diante do cenário de incertezas provocado pela crise, muitos profissionais estão se reinventando. Porém, mais do que criatividade, é preciso resiliência para enfrentar o cenário desfavorável e crescer e alcançar as metas planejadas. 

Chegamos ao segundo semestre do ano e, nesta época, é comum as pessoas se questionarem sobre as metas projetadas fazendo um balanço dos objetivos alcançados nos primeiros seis meses do período. Porém, 2016 está pautado em uma crise econômica, o que acaba inviabilizando muitos projetos pessoais ou profissionais.
Fechamento de empresas, demissões de colaboradores e negociações para a redução da jornada foram alguns dos reflexos da crise. Diante do cenário de incertezas, muitos profissionais estão se reinventando. “Outro dia li um artigo dizendo que, para resolver o problema da crise, basta tirar a letra ‘s’. Então, fica ‘crie’. Faz muito sentido, pois a criatividade é sempre muito bem-vinda em qualquer situação, principalmente, em tempos difíceis”, explica o coach Sandro Ferrari.

Para o especialista, além da criatividade, é preciso resiliência para enfrentar o cenário desfavorável e crescer e alcançar as metas planejadas. “Na psicologia, a resiliência é a capacidade de uma pessoa lidar com seus próprios problemas, vencer obstáculos e não ceder à pressão, seja qual for a situação. E, neste caso da crise, a pressão é externa. Não a criamos, mas temos que aprender a lidar com isso. Pensar em resiliência faz todo o sentido para enfrentar os obstáculos que a crise nos coloca”, ressalta.

Para quem está empregado e quer manter o emprego, o coach sugere qualificação. Buscar aprimoramento pode ser uma boa alternativa para atravessar a fase de instabilidade econômica. “Essa é a melhor hora para investir em treinamentos”, destaca.

Já para quem está disponível no mercado de trabalho, a dica é melhorar o marketing pessoal “É importante manter o currículo atualizado e se preparar muito bem para o momento da entrevista”, orienta.

Por fim, de acordo com Ferrari, para driblar os reflexos da crise é preciso mudar. “Mude com cautela, tenha uma percepção sistêmica do ambiente e as estratégias a serem executadas. Também invista certo os seus recursos em treinamentos que tragam resultados específicos e imediatos, pois se continuar fazendo as mesmas coisas, você pode ser surpreendido negativamente da mesma forma como muitas pessoas foram”, conclui.

Sobre Sandro Ferrari
Empresário, Coach e Master Practitioner e Trainer em Programação Neurolinguística, Sandro Ferrari desenvolve trabalhos de Coach de Vida e Executivo na Attlantis Coaching. Também é autor de livros e diversos artigos. Outras informações www.attlantis.net

www.dino.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário