domingo, 4 de setembro de 2016

Ministro do Planejamento defende reforma da Previdência


 Calculadora, Cálculo, Seguro, Finanças

Brasília- 31/08/2016- O governo diz ser urgente a reforma da previdência e afirma que haverá novos concursos apenas para substituição de terceirizados.

Ao apresentar a proposta da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2017 nesta quarta-feira (31), o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, afirmou que é urgente a discussão da reforma previdenciária.


Pelos dados do governo, o deficit para a Previdência chegará a R$ 181,2 bilhões em 2017, o equivalente a 2,7% do Produto Interno Bruto. “Ele era de 1% do PIB em 2014. Em 3 anos, cresceu 170%. Os gráficos mostram a urgência, a importância e a necessidade da discussão sobre a reforma da previdência”, afirmou. “O que temos ao longo do tempo é um crescimento das despesas obrigatórias e uma contenção daquilo que o governo pode fazer. E o que o governo pode reduzir, ele está fazendo”.

Ainda de acordo com Dyogo Oliveira, não haverá novos concursos em 2017, com exceção dos previstos na proposta de LDO de 2017, como em casos de substituição de terceirizados.

A proposta orçamentária de 2017 também prevê correção de 5% na tabela do Imposto de Renda; e reajustes para os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e outras carreiras de servidores.
A LOA foi entregue por Oliveira e pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, no final da tarde, logo após a posse do presidente da República, Michel Temer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário