domingo, 16 de outubro de 2016

Educadora financeira de Recife orienta sobre como poupar dinheiro


Moneybox, Porco, Porquinho, Poupança


“Ter sonhos em mente com data marcada para acontecer é um grande incentivo para desenvolver o hábito de poupar"- diz Luciana Menezes.

(Maxpress- outubro 2016) Poupar dinheiro é o desejo de 45% dos brasileiros, segundo recente relatório da empresa de pesquisas de mercado GfK. Entretanto, em meio à crise, muitas famílias enfrentam dificuldades para economizar. Com a proximidade do Dia da Poupança, celebrado em 31 de outubro, a educadora financeira e diretora da Unidade DSOP Recife, Luciana Menezes, dá orientações sobre como poupar dinheiro.

“Ter sonhos em mente com data marcada para acontecer é um grande incentivo para desenvolver o hábito de poupar. Após usar a reserva construída mês a mês para realizar o primeiro sonho estabelecido, o desejo de continuar poupando para conquistar os próximos aflora de imediato. Passamos assim a alimentar um ciclo positivo de sonhos realizados durante a vida. por isso sabemos que o sonhos são os melhores aliados da poupança”, afirma Luciana Menezes.

Para cada sonho, é necessário saber o custo total e em quanto tempo irá realizar. Em seguida, é importante fazer um diagnóstico da vida financeira, identificando os gastos supérfluos e que podem ser eliminados, para que seja possível poupar mensalmente. Esse processo é importante para que a pessoa conheça o seu verdadeiro comportamento financeiro e possa mudar seus hábitos para melhor.

Além de poupar para os sonhos, é importante ter uma reserva específica para emergências. Situações inesperadas, como a perda do emprego ou o surgimento de um problema de saúde, podem acontecer com todos. Portanto, é válido ter nessa poupança valor equivalente a alguns meses de salário. Para quem ainda não tem o hábito de guardar dinheiro, a orientação é estar atento às possibilidades de economia no dia-a-dia.


Confira 8 orientações para poupar dinheiro com educação financeira:

1. Reavalie pacotes – Revise os preços e a necessidade de manter contratos de determinados serviços, como, por exemplo, TV a cabo, celular e internet. Veja se está pagando por mais do realmente usa e se há melhores opções no mercado;

2. Peça descontos – Sempre que fizer uma compra, não tenha vergonha de pedir descontos, especialmente se estiver pagando à vista. Muitas lojas disponibilizam cupons de descontos, portanto é válido pesquisar antes de comprar;

3. Economize recursos – Em casa, pode haver o desperdício de recursos como energia elétrica, água e gás. É válido tomar determinadas atitudes, como, por exemplo, tirar da tomada aparelhos que ficam no modo stand-by, consumindo energia elétrica sem necessidade;

4. Divirta-se de graça – Além de parques, museus e teatros, é comum haver programação de lazer gratuita durante todo o ano. Pesquise em sua cidade e opte por passeios mais baratos, porém igualmente prazerosos;

5. Participe de programas de fidelidade – Diversos estabelecimentos oferecem programas de fidelidade, em que os clientes podem acumular pontos a cada compra e depois trocar por outros produtos e serviços, além de obter melhores preços;

6. Evite compras por impulso – Sempre que for ao mercado, por exemplo, leve uma lista e mantenha-se no planejamento. Evite ir a shoppings ou centros de ofertas se não for comprar algo específico, pois poderá ceder ao impulso;

7. Conheça a si mesmo – Muitas pessoas ficam mais vulneráveis para fazer compras supérfluas ou por impulso quando estão tristes, cansadas ou com fome. Portanto, conheça seus sentimentos e evite se expor à propagandas nesses momentos;

8. Fale com a família – De nada adianta você mudar seu comportamento para conseguir poupar se, por outro lado, seu cônjuge e/ou filhos não estiverem na mesma sintonia. É importante falar sobre o assunto, para que todos consigam atingir seus objetivos.

Fonte: DSOP Educação Financeira

Luciana Menezes é educadora financeira DSOP, sócia e diretora pedagógica da Unidade DSOP Educação Financeira em Pernambuco, membro da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), mestre em Gestão e Politicas Públicas (UFPE) e professora de graduação e pós na UNICAP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário