domingo, 23 de abril de 2017

A Ricardo Eletro tem dívida que corresponde a 51% do seu patrimônio

Fachada da loja Ricardo Eletro
Fachada da loja Ricardo Eletro


Grupo tem 800 lojas no pelo Brasil e estaria negociando sua divida com grandes bancos e enxugando custos

Fortaleza- 23-04-2017- Por Redação- A Máquina de Vendas, empresa formada da união da Ricardo Eletro e Insinuante e outras três lojas City Lar, EletroShopping e Salfer. Segundo informações a empresa tem dividas que correspondem a 51% de seu patrimonio liquido e os Bancos Bradesco, Santander e Itaú Unibanco buscam uma solução para o caso.

A Maquina de Vendas vem sofrendo com a recessão brasileira como qualquer outra empresa. Segundo o site da revista Pequenas Empresas Grandes Negócios há dificuldades até mesmo de capital de giro e fôlego para pagar os compromissos financeiros. Segundo a Folha de São Paulo em 2016 o Grupo devia R$ 2,2 bilhões vencendo 1 bilhão dentro do próprio ano e sem condições de pagar o compromisso "rolou a divida" com uma emissão de debêntures no valor de R$ 1,5 bilhão.

Para especialistas o grupo esta atuante no seu segmento mais esta com fragilidade de caixa, o melhor a fazer seria pedir a recuperação judicial ou criar uma Unidade Produtiva Independente , uma espécie de empresa "boa" para  ser vendida e ajudar assim a quitar as dividas ou vender o grupo para investidores interessados por exemplo em comprar a Via Varejo do Grupo Pão de Açúcar.

As dificuldades do grupo vem desde de 2015 quando suas vendas cairam10% e se agravaram com a recessão que atinge a economia  brasileira. Outro problema é que os custos operacionais das lojas e outros gastos indiretos são altos, herança deixada pela fusão da Ricardo Eletro com a Insinuante. Para dar fôlego as operações o grupo  fechou 155 lojas o ano passado e 3 centros de distribuição dos 30 que a empresa tinha em operação. Para este ano existem 90 lojas em "enfermaria" que é como estão sendo tratadas  lojas com problemas de rentabilidade e mais três CD's serão fechados. Segundo a Folha de São Paulo os gastos com custos indiretos chegam a R$ 1 bilhão.

O grupo, que recentemente unificou as bandeiras sob a marca Ricardo Eletro tem 800 lojas em 17 estados e Distrito Federal e conta com 17.000 funcionários. Hoje o grupo é o terceiro maior do Brasil atrás da Magazine Luiza e Via Varejo (Ponto Frio e Casas Bahia).

Com informações do Site Pequenas Empresas e Grandes Negócios e Folha de São Paulo


Nenhum comentário:

Postar um comentário