sábado, 29 de abril de 2017

É preciso esclarecer melhor as reformas trabalhistas e previdenciárias

 

População cobre seus direitos antes que seja tarde

Pedro Paulo Morales

As manifestações de ontem em Fortaleza mostraram que o povo não aceita as reformas trabalhista e da previdência. O governo considerou que o movimento foi um "fracasso" mas deve ser analisado com ressalvas pela equipe de Michel Temer.

As milhares de pessoas na rua mostra o quanto o povo esta insatisfeito com a situação. As reformas trabalhistas apresentadas pode melhorar a situação de números de empregos como diz a equipe econômica, mas não garante que as pessoas tenham garantias de que vão estar sempre empregadas.
O trabalho intermitente e o home office  são boas alternativas desde de que a economia seja forte e os empresários façam bom uso do sistema pois se isso não acontecer teremos a precarização do trabalho no Brasil.

O caso é muito sério pois pode haver casos de que uma pessoa trabalhe apenas quinze ou vinte dias no mês e fique os outros dias parados. Há pontos que a nova legislação não esclarece como por exemplo o DSR (Descanso Semanal Remunerado  para as pessoas que irão trabalhar no sistema intermite oo o recolhimento de FGTS ou INSS. 

Por exemplo se uma pessoa trabalha no modo intermitente durante 15 dias no mês significa na verdade que ela estará contribuindo apenas meio mês e aos final de 10 anos de trabalho ela tera contribuído apenas 5 anos.Quando essa pessoa vai se aposentar.

Outra questão que precisa ser revista é a segurança laboral dos trabalhadores pois a partir de 50 anos as pessoas passam a adquirir doenças profissionais como tendinites, pressão alta, hérnias de disco, dores nas costas , joelhos etc. e como essas pessoas vão ser produtivas , disputar uma vaga com um jovem no mercado de trabalho.

As reformas são interessantes com disse no artigo de ontem mas alguns pontos precisam ser esclarecidos para levar segurança para a população. Mudar para beneficiar apenas as empresas ou uma economia de momento não vai ser a solução para este pais.

O emprego como conhecemos não vai acabar mas vai ficar mais difícil ter um e se manter nele.Mas difícil ainda vai ser se aposentar ou ter um emprego após os 45 anos.

As centrais sindicais precisam pensar nisso e esclarecer a população porque com a não obrigação da contribuição sindical o trabalhador brasileiro vai usar o valor da contribuição para comprar a única refeição do dia! Sindicatos mudem o discurso, patrões aproveitem a oportunidade para criar uma relação de trabalho justa e população cobre seus direitos antes que seja tarde!


Nenhum comentário:

Postar um comentário